Levosimendana


Levosimendana – Bula do remédio

Levosimendana com posologia, indicações, efeitos colaterais, interações e outras informações. Todas as informações contidas na bula de Levosimendana têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes com Levosimendana devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente.

Aviso importante

Todas as bulas constantes em nosso portal são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

A 4Medic não vende nenhum tipo de medicamento

Referência

Simdax (Abbott

Apresentação de Levosimendana

USO ADULTO
Via intravenosa.
SIMDAX (Levosimendana) 2,5 mg/ml: embalagens com 1, 4 ou 10 frascos-ampola de 5 ml ou 10 ml. (Lista nº M974) ? Via intravenosa.
Cada ml contém:
levosimedana: 2,5 mg
Excipientes: polividona, ácido cítrico e etanol.

Levosimendana – Indicações

SIMDAX (Levosimendana) é indicado para tratamentos a curto prazo de descompensação aguda da insuficiência cardíaca crônica grave.
SIMDAX (Levosimendana) somente deve ser utilizado como terapia adicional nas situações em que a terapia convencional, como por exemplo, diuréticos, inibidores da ECA e digitálicos não for suficiente e onde o suporte inotrópico for necessário.

Contra-indicações de Levosimendana

SIMDAX (Levosimendana) é contra-indicado a pacientes com hipersensibilidade a Levosimendana ou qualquer um dos excipientes da fórmula, assim como a pacientes com obstruções mecânicas marcantes que afetem o preenchimento ou esvaziamento ventricular ou ambos. SIMDAX (Levosimendana) é contra-indicado a pacientes com comprometimento renal grave (clearance de creatinina menor 30 mL/min), comprometimento hepático grave, hipotensão grave e taquicardia e histórico de Torsades de Pointes.

Advertências

Efeitos hemodinamicamente favoráveis sobre o débito cardíaco e sobre a pressão capilar pulmonar de cunha persistem por pelo menos 24 horas após a descontinuação de uma infusão (de 24 horas). A duração exata de todos os efeitos hemodinâmicos não foi determinada. Entretanto, os efeitos sobre a pressão sangüínea geralmente duram por 3 a 4 dias e os efeitos sobre a freqüência cardíaca, de 7 a 9 dias. Isto se deve, em parte, à presença de um metabólito ativo, que alcança sua concentração plasmática máxima cerca de 48 horas depois do término da infusão. Interações com a eliminação do metabólito ativo não podem ser previstas e poderiam levar a um efeito mais pronunciado e prolongado sobre a freqüência cardíaca (ver INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS). É recomendado o monitoramento não invasivo por pelo menos 3 dias após o término da infusão ou até que o paciente esteja clinicamente estável. Em pacientes com comprometimento renal ou hepático leve a moderado, o monitoramento é recomendado por pelo menos 5 dias.
Devem ser monitorados continuamente o ECG, a pressão sangüínea e a freqüência cardíaca durante o tratamento, e o débito urinário deve ser avaliado. Sintomas de insuficiência cardíaca devem ser acompanhados e o monitoramento hemodinâmico invasivo durante a infusão é recomendado.
Há experiência muito limitada da administração de agentes inotrópicos (exceto digoxina) concomitantemente a Levosimendana ou após uma infusão de Levosimendana (ver POSOLOGIA). Portanto, tal administração não é recomendada e os potencial risco/benefício deve ser avaliado para cada paciente.
A infusão de SIMDAX (Levosimendana) deve ser feita com cautela em pacientes com hipotensão, taquicardia ou fibrilação atrial significativas, com resposta ventricular rápida. Hipovolemia grave deve ser corrigida antes da infusão de Levosimendana. Se alterações excessivas na pressão sangüínea ou na freqüência cardíaca forem observadas, a velocidade de infusão deve ser reduzida ou a infusão deve ser descontinuada.
Em pacientes com função cardíaca severamente comprometida, SIMDAX (Levosimendana) deve ser administrado sob monitoração contínua do débito cardíaco e da pressão de preenchimento.
Pacientes com taquicardia ventricular constante, taquicardia esporádica não relacionada a reperfusão ou arritmia com risco para a vida, devem ser tratados da arritmia e estar estabilizados antes da administração de SIMDAX (Levosimendana).
Levosimendana deve ser usado com cautela em pacientes com falência renal ou hepática leve a moderada. A eliminação do metabólito ativo não foi investigada em pacientes com comprometimento da função hepática e existem apenas dados limitados sobre estes pacientes. A insuficiência renal ou hepática pode levar ao acúmulo do metabólito, o que pode resultar num efeito mais acentuado e prolongado sobre a freqüência cardíaca (ver CARACTERÍSTICAS FARMACOLËGICAS).
SIMDAX (Levosimendana) deve ser usado com cautela e sob atento monitoramento do ECG em pacientes com isquemia coronariana vigente, intervalo de QTc prolongado, independentemente da etiologia, ou quando recebem concomitantemente medicamentos que prolongam o intervalo QTc (ver SUPERDOSE).
A infusão de SIMDAX (Levosimendana) pode produzir uma diminuição da concentração de potássio sérico. Por isso, baixas concentrações de potássio sérico devem ser corrigidas antes da administração de SIMDAX (Levosimendana) e também devem ser monitoradas durante o tratamento. Assim como para outros produtos medicamentosos para a insuficiência cardíaca, as infusões de SIMDAX (Levosimendana) podem ser acompanhadas por diminuições nas taxas de hemoglobina e hematócrito e deve-se ter cautela em pacientes com doença cardiovascular isquêmica e anemia concomitante.
Não existem informações disponíveis sobre o uso de SIMDAX (Levosimendana) nos seguintes distúrbios: cardiomiopatia restritiva, cardiomiopatia hipertrófica, insuficiência grave da válvula mitral, ruptura cardíaca, tamponamento cardíaco, infarto ventricular direito e arritmias com potencial risco de vida nos últimos três meses.
Não há experiência sobre o uso de SIMDAX (Levosimendana) em crianças e adolescentes abaixo de 18 anos de idade.
Existe somente experiência limitada disponível sobre o uso de SIMDAX (Levosimendana) nas seguintes condições e cautela especial deve ser tomada: insuficiência cardíaca aguda relacionada a uma condição não-cardíaca de início recente, grave deterioração de insuficiência cardíaca após cirurgia e insuficiência cardíaca grave em pacientes que aguardam transplante cardíaco.
Disfunção renal e/ou hepática: SIMDAX (Levosimendana) deve ser usado com cautela em pacientes com insuficiência renal ou hepática (ver CARACTERÍSTICAS FARMACOLËGICAS).
Crianças: SIMDAX (Levosimendana) não deve ser administrado a crianças nem a adolescentes até 18 anos de idade.
Carcinogênese, mutagênese e fertilidade: estudos convencionais sobre a toxicidade geral e a genotoxicidade não revelaram perigo especial a humanos no uso em curto prazo. Em estudos animais, a Levosimendana não foi teratogênico, mas produziu uma redução generalizada no grau de ossificação dos fetos de rato e coelho com desenvolvimento anômalo do osso supraocipital em coelhos. Quando administrado antes e durante o início da gestação, a Levosimendana diminuiu o número de corpos lúteos, implantações e filhotes por cria aumentando o número de reabsorções espontâneas e perdas pós-implantação em ratos fêmeas. Esses efeitos foram observados sob níveis de exposição clínica.
Em estudos animais, a Levosimendana foi excretada no leite materno.
Ver item Uso em idosos, crianças e outros grupos de risco? para ajuste de dose em pacientes idosos e cuidados na gravidez.

Uso na gravidez de Levosimendana

Não há experiência no uso de Levosimendana em mulheres grávidas. Estudos animais demonstraram efeitos tóxicos sobre a reprodução (ver ADVERTÊNCIAS). Portanto, Levosimendana somente deve ser usado em mulheres grávidas se os possíveis benefícios justificarem os possíveis riscos ao feto.
Lactação: não se sabe se a Levosimendana é excretada no leite humano. Portanto, mulheres recebendo Levosimendana não devem amamentar dentro de 14 dias após a infusão.

Interações medicamentosas de Levosimendana

Estudos in vitro utilizando microssoma do fígado mostraram que SIMDAX (Levosimendana) aparentemente não causa significantes interações com agentes metabolizados pelas enzimas do citicromo P450(CYP) devido à baixa afinidade aparente pelas várias isoformas do CYP.
A eliminação do metabólito ativo OR?1806 foi completamente avaliada. Uma possível interação poderia levar a um efeito mais pronunciado e prolongado sobre a freqüência cardíaca. A duração deste efeito poderia ser maior do que 7-9 dias, o que é normalmente observado após uma infusão de SIMDAX (Levosimendana).
Nenhuma interação farmacocinética foi observada numa análise populacional de pacientes que estavam recebendo digoxina e infusão de SIMDAX (Levosimendana). A infusão de SIMDAX (Levosimendana) pode ser feita em pacientes recebendo agentes beta-bloqueadores sem perda de eficácia. A co-administração de mononitrato de isossorbida e Levosimendana em voluntários sadios resultou em potencialização significativa da resposta hipotensora ortostática. Não foi observada a potencialização da diminuição na pressão sangüínea, depois da administração concomitante de nitratos e Levosimendana em pacientes.

Reações adversas / Efeitos colaterais de Levosimendana

As reações adversas mais comuns nos estudos clínicos foram cefaléia e hipotensão (ambos com 5%).
Em pacientes tratados com Levosimendana, foram relatadas extra-sístoles em 1,3% dos pacientes, fibrilação atrial em 1,4%, taquicardia em 2,4%, taquicardia ventricular em 1%, palpitações em 0,9% e isquemia miocárdica em 2%. De todas as reações relatadas, 83% ocorreram durante a terapia com Levosimendana e 17% após seu término. A maioria das reações adversas (98,6%) foi observada dentro de três dias após o início da infusão.
Tabela 1 Reações Adversas
Comuns(maior 1/100, menor 1/10) Geral: cefaléia
Distúrbios eritrocitários: diminuição de hemoglobina
Distúrbios cardiovasculares: hipotensão
Distúrbios miocárdicos, endocárdicos, pericárdicos e valvulares: isquemia miocárdica
Distúrbios rítmicos e na frequência cardíaca: extra-sístoles, fibrilação atrial, taquicardia, taquicardia ventricular
Distúrbios no SNC e no SNP: tontura
Distúrbios gastrointestinais: náusea, vômitos
Distúrbios metabólicos: hipocalemia
Incomuns(maior 1/1000, menor 1/100) Distúrbios rítmicos e na frequência cardíaca: palpitações

Levosimendana – Posologia

A dose e a duração do tratamento devem ser individualizadas de acordo com o quadro clínico do paciente e com sua resposta.
A administração de SIMDAX (Levosimendana) deve ser iniciada com uma dose inicial de 12 microgramas/kg a 24 microgramas/kg, infundidos durante 10 minutos, seguida por uma infusão contínua de 0,1 microgramas/kg/min. Uma dose de ataque de 24 microgramas/kg produzirá uma resposta hemodinâmica mais acentuada mas pode estar associada com uma incidência transitória aumentada de reações adversas. A resposta do paciente deve ser avaliada após 30 a 60 minutos. Se a resposta for julgada excessiva (hipotensão, taquicardia), o índice de infusão deverá ser diminuído para 0,05 microgramas/kg/min, ou deve ser descontinuada. Se a dose inicial for tolerada e um maior efeito hemodinâmico for necessário, o índice de infusão pode ser aumentado para 0,2 microgramas/kg/min.
A duração recomendada da infusão em pacientes com descompensação aguda causada por insuficiência cardíaca crônica grave é de 24 horas. Nenhum sinal de desenvolvimento de tolerância ou fenômenos de rebote foram observados após a descontinuação da infusão de SIMDAX (Levosimendana). Os efeitos hemodinâmicos persistem por pelo menos 24 horas e podem ser notados até 9 dias após a descontinuação de uma infusão durante 24 horas.
Para preparar a infusão 0,05 mg/ml, misturar 10 ml de SIMDAX (Levosimendana) solução injetável concentrada para infusão 2,5 mg/ml com 500 ml de solução de glicose 5 %.
A tabela seguinte oferece os índices detalhados de infusão tanto para a dose inicial, quanto para a de manutenção de uma preparação de infusão de SIMDAX (Levosimendana) 0,05 mg/ml:
(Tabela I)
Para preparar a infusão 0,025 mg/ml, misturar 5 ml de SIMDAX (Levosimendana) solução injetável concentrada para infusão 2,5 mg/ml com 500 ml de solução de glicose 5 %.
A tabela seguinte oferece os índices detalhados de infusão tanto para a dose inicial, quanto para a de manutenção de uma preparação de infusão SIMDAX (Levosimendana) 0,025 mg/ml:
(Tabela II)
Os seguintes medicamentos podem ser administrados simultaneamente a SIMDAX (Levosimendana) em cateteres intravenosos conectados:
Furosemida 10 mg/ml
Digoxina 0,25 mg/ml
Nitroglicerina 0,1 mg/ml
Este produto não deve ser misturado com outros produtos ou diluentes, exceto os declarados acima.
Peso do paciente (kg) Dose inicial infundida durante 10 minutos (ml/h) Dose demanutenção (ml/h)
12 mcg/kg 24 mcg/kg 0,05 mg/kg/min 0,1 mg/kg/min 0,2 mg/kg/min
40 58 115 2 5 10
50 72 144 3 6 12
60 86 173 4 7 14
70 101 202 4 8 17
80 115 230 5 10 19
90 130 259 5 11 22
100 144 288 6 12 24
110 158 317 7 13 26
120 173 346 7 14 29
Tabela 1 Reações Adversas
Comuns(maior 1/100, menor 1/10) Geral: cefaléia
Distúrbios eritrocitários: diminuição de hemoglobina
Distúrbios cardiovasculares: hipotensão
Distúrbios miocárdicos, endocárdicos, pericárdicos e valvulares: isquemia miocárdica
Distúrbios rítmicos e na frequência cardíaca: extra-sístoles, fibrilação atrial, taquicardia, taquicardia ventricular
Distúrbios no SNC e no SNP: tontura
Distúrbios gastrointestinais: náusea, vômitos
Distúrbios metabólicos: hipocalemia
Incomuns(maior 1/1000, menor 1/100) Distúrbios rítmicos e na frequência cardíaca: palpitações

Superdosagem

A superdosagem de SIMDAX (Levosimendana) pode induzir hipotensão e taquicardia. Em estudos clínicos com Levosimendana, a hipotensão foi tratada com sucesso com vasopressores (ex.: dopamina, em pacientes com insuficiência cardíaca congestiva e adrenalina, para pacientes após cirurgia cardíaca). Diminuições excessivas nas pressões cardíacas de preenchimento podem limitar a resposta a Levosimendana e podem ser tratadas com fluidos parenterais. Doses altas (iguais ou acima de 0,4 microgramas/kg/min) e infusões de mais de 24 horas aumentam a freqüência cardíaca e estão algumas vezes associadas ao prolongamento do intervalo QTc. No caso de superdosagem com SIMDAX (Levosimendana), devem ser realizados monitoramento contínuo do ECG, determinações repetidas dos eletrólitos séricos e monitoramento hemodinâmico invasivo. A superdosagem com SIMDAX (Levosimendana) leva a maiores concentrações plasmáticas do metabólito ativo, o que pode conduzir a um efeito mais pronunciado e mais prolongado sobre a freqüência cardíaca, necessitando de correspondente extensão no período de observação.

Características farmacológicas

Descrição: a Levosimendana, substância ativa de SIMDAX (Levosimendana) solução concentrada para infusão 2,5 mg/ml, é um membro de uma nova classe de agentes cardiotônicos, os sensibilizadores de cálcio, que aumentam a contratilidade cardíaca pela intensificação da sensibilidade do coração ao cálcio. Como resultado a Levosimendana produz efeitos inotrópicos positivos que são independentes dos receptores beta ou AMP-cíclico. A Levosimendana é quimicamente denominad-a (-)-(R)-[[4-(1,4,5,6,-tetraidro-4-metil-6-oxo-3-piridazinil)-fenil)hidrazono)-propanodinitrila. É um pó amarelo a amarelo-acastanhado com peso molecular de 280,3, e fórmula empírica C14H12N6O. Levosimendana é um composto moderadamente lipofílico. A solubilidade em água destilada é 0,04 mg/ml, em etanol 7,8 mg/ml e em tampão fosfato pH 8 (67mM) 0,09 mg/ml. A solução injetável de SIMDAX (Levosimendana) é límpida, amarela ou laranja para diluição antes da administração.
Farmacodinâmica: a Levosimendana intensifica a sensibilidade das proteínas contráteis ao cálcio pela ligação à troponina cardíaca C, de modo dependente do cálcio. A Levosimendana melhora a força de contração, mas não prejudica o relaxamento ventricular. Além disso, a Levosimendana abre os canais de potássio sensíveis ao ATP no músculo liso vascular, induzindo assim a vasodilatação de vasos arteriais de resistência sistêmica e coronária, bem como de vasos de capacitância venosa sistêmica. A Levosimendana é um inibidor seletivo da fosfodiesterase III in vitro. Não está clara a relevância deste fato nas concentrações terapêuticas. Em pacientes com insuficiência cardíaca, as ações inotrópicas e vasodilatadoras positivas da Levosimendana resultam numa maior força contrátil e redução na pré-carga e pós-carga, sem afetar adversamente a função diastólica. A Levosimendana ativa o miocárdio traumatizado em pacientes, após angioplastia coronária transluminal percutânea ou trombólise. A Levosimendana gera, na faixa de dose recomendada, um metabólito terapeuticamente ativo que produz efeitos hemodinâmicos semelhantes aos da Levosimendana. Entretanto, estes efeitos duram por até 7 a 9 dias após a descontinuação de uma infusão de 24 horas de SIMDAX (Levosimendana). A infusão de SIMDAX (Levosimendana) aumenta o fluxo sangüíneo coronário em pacientes que estejam se recuperando de cirurgia coronária e melhora a perfusão miocárdica em pacientes com insuficiência cardíaca. Estes benefícios são alcançados sem aumento significativo no consumo de oxigênio do miocárdio. O tratamento com a infusão de Levosimendana diminui significativamente os níveis circulantes de endotelina-1 em pacientes com insuficiência cardíaca congestiva. Não aumenta os níveis plasmáticos de catecolamina nos índices de infusão recomendados.
Farmacocinética
Gerais: a farmacocinética da Levosimendana é linear na faixa terapêutica de 0,05 a 0,2 Ág/kg/min.
Distribuição: o volume de distribuição da Levosimendana (VSS) é de aproximadamente 0,2 l/kg. A Levosimendana liga-se de 97% a 98% às proteínas plasmáticas, principalmente à albumina. A ligação à proteína do metabólito ativo (OR-1896) é de 40%.
Metabolismo: Levosimendana é completamente metabolizada, sendo que quantidades desprezíveis do composto principal inalterado são excretadas na urina e nas fezes. A Levosimendana é metabolizada principalmente por conjugação a cisteinilglicina N-acetilada ou cíclica e conjugados cisteínicos. Aproximadamente 5% da dose é metabolizada no intestino por redução a aminofenilpiridazinona (OR-1855), que após a reabsorção pela circulação sistêmica é metabolizada no plasma pela N-acetiltransferase no metabólito ativo OR-1896. O nível de acetilação é geneticamente determinado. Em acetiladores rápidos, as concentrações do metabólito OR-1896 são ligeiramente mais elevadas do que em acetiladores mais lentos. Entretanto, isto não tem implicações para o efeito hemodinâmico clínico nas doses recomendadas. Estudos in vitro demonstraram que a Levosimendana poderia apresentar um efeito inibidor leve da CYP2D6 (Ki: 5ÁM), entretanto Levosimendana, OR-1855 e OR-1896 não inibem CYP1A2, 2A6, 2C19, 2E1 nem 3A4 nas concentrações alcançadas pela dosagem recomendada. Além disso, a Levosimendana não inibe a CYP1A1 e nem OR-1855, ou OR-1896 inibe CYP2C9 ou CYP2D6. Os resultados dos estudos de interação medicamentosa em seres humanos com varfarina, felodipina e itraconazol confirmaram que a Levosimendana não inibe CYP3A4 nem CYP2C9.
Eliminação e excreção: a depuração é de cerca de 3,0 ml/min/kg e a meia-vida é de cerca de 1 hora. Cinqüenta e quatro por cento da dose é excretada na urina e 44% nas fezes. Mais de 95% da dose é excretada em uma semana como metabólitos inativos. OR-1896 é principalmente excretado na urina como OR-1896 ou OR-1855 e como seus hidroxilados e conjugados derivados. Quantidades desprezíveis (menor 0,05% da dose) são excretadas como Levosimendana inalterado na urina. Os metabólitos circulantes OR-1855 e OR-1896 são formados e eliminados lentamente. O pico da concentração plasmática é alcançado aproximadamente 48 horas após o término da infusão. As meias-vidas de eliminação dos metabólitos são cerca de 75-80 horas. A eliminação do metabólito ativo OR-1896 ainda não foi completamente investigada. Interações potenciais não podem ser previstas.
Populações Especiais: Crianças: dados limitados indicam que a farmacocinética da Levosimendana após uma dose única em crianças (idades 3 meses a 6 anos) é semelhante a do adulto. A farmacocinética do metabólito ativo não foi investigada em crianças. SIMDAX (Levosimendana) não deve ser administrado em crianças. Insuficiência Renal: a farmacocinética da Levosimendana é semelhante em voluntários sadios e indivíduos com insuficiência renal leve a moderada. O efeito da hemodiálise sobre a farmacocinética da Levosimendana não foi determinado. Os dados da farmacocinética do metabólito ativo na insuficiência renal são limitados. Insuficiência Hepática: a eliminação da Levosimendana é levemente reduzida em pacientes com insuficiência hepática leve devido à cirrose. O efeito da insuficiência hepática moderada a grave sobre a farmacocinética da Levosimendana não foi avaliado. A farmacocinética do metabólito ativo não foi investigada na insuficiência hepática.
Uma análise populacional não mostrou efeitos da idade, origem étnica ou sexo sobre a farmacocinética da Levosimendana. Entretanto, a mesma análise revelou que o volume de distribuição e a depuração total dependem do peso.

Resultados de eficácia

A Levosimendana demonstrou levar a aumentos dose-dependentes no débito cardíaco e volume sistólico, assim como uma diminuição dose-dependente na pressão capilar pulmonar, pressão arterial média e resistência periférica total.
Num estudo multicêntrico duplo-cego, 203 pacientes com insuficiência cardíaca de baixo débito (fração de ejeção ú 0,35, índice cardíaco menor 2,5 l/min/m2, pressão do capilar pulmonar (PCWP) maior 15 mmHg) e com necessidade de suporte inotrópico, receberam Levosimendana (dose de ataque de 24 Ág/kg durante 10 minutos seguida de infusão contínua de 0,1 a 0,2 Ág/kg/min) ou dobutamina (5 a 10 Ág/kg/min) durante 24 horas. A etiologia da insuficiência cardíaca era isquêmica em 47% dos pacientes; 45% tinham cardiomiopatia dilatada iodiopática. 76% dos pacientes tinham dispnéia durante o sono. Os principais critérios de exclusão incluíram pressão arterial sistólica abaixo de 90 mmHg e freqüência cardíaca acima de 120 batimentos/minuto. O endpoint primário foi um aumento no débito cardíaco em maior ou igual a 30% e uma diminuição simultânea da PCWP em maior ou igual a 25% em 24 horas. Isso foi alcançado em 28% dos pacientes tratados com Levosimendana comparados com 15% após o tratamento com dobutamina (p=0,025). 68% dos pacientes sintomáticos apresentaram uma melhora nas pontuações de dispnéia após o tratamento com Levosimendana, comparados com 59% após o tratamento com dobutamina. As melhoras no quadro de fadiga foram de 63% e 47% após o tratamento com Levosimendana e dobutamina, respectivamente. A mortalidade de 31 dias de todas as causas foi de 7,8% para o Levosimendana e de 17% para os pacientes tratados com dobutamina.
Num outro estudo multicêntrico duplo-cego, conduzido principalmente para avaliar a segurança, 504 pacientes com insuficiência cardíaca descompensada após infarto agudo do miocárdio, avaliados com necessidade de suporte inotrópico, foram tratados com Levosimendana ou placebo por 6 horas. Não houve diferenças significativas na incidência de hipotensão e isquemia entre os grupos de tratamento.
Nenhum evento adverso sobre a sobrevivência até 6 meses foi observado, numa análise retrospectiva destes dois grandes estudos.
Maiores informações sobre os resultados de eficácia estão disponíveis em referências bibliográficas.
Referências Bibliográficas:
Caso haja interesse em conhecer as referências bibliográficas e/ou estudos clínicos disponíveis para este medicamento entre em contato com nosso Serviço de Atendimento ao Consumidor ? Abbott Center através do telefone 0800 7031050.

Modo de usar

SIMDAX (Levosimendana) deve ser mantido sob refrigeração, de 2 a 8ºC. Não congelar. A cor do concentrado pode se tornar laranja durante o armazenamento, mas não há perda de potência e o produto pode ser usado até o prazo de validade indicado, se as instruções de armazenamento tiverem sido seguidas.
Método de Administração
SIMDAX (Levosimendana) deve ser administrado somente nas dependências hospitalares onde encontram-se disponíveis instalações de monitoramento adequadas e por profissionais com experiência no uso de agentes inotrópicos.
SIMDAX (Levosimendana) solução concentrada para infusão 2,5 mg/ml deve ser diluído antes da administração.
Para preparar a infusão 0,05 mg/ml, misturar 10 ml de SIMDAX (Levosimendana) solução injetável concentrada para infusão 2,5 mg/ml com 500 ml de solução de glicose 5 %.
Para preparar a infusão 0,025 mg/ml, misturar 5 ml de SIMDAX (Levosimendana) solução injetável concentrada para infusão 2,5 mg/ml com 500 ml de solução de glicose 5 %.
Inspecione o conteúdo do frasco-ampola antes do uso, verificando se há material particulado ou descoloração. Não utilize o produto se houver partículas presentes na solução.
A infusão deverá ser administrada por via intravenosa periférica ou central.
Após a diluição
O uso por 24 horas, a 25 ¦C, demonstrou estabilidade físico-química. Do ponto de vista microbiológico, o produto deve ser usado imediatamente; caso contrário, o tempo de uso e as condições de armazenamento pré-infusão são de responsabilidade do profissional que utiliza o produto. O tempo de armazenagem e de uso após a diluição nunca deve exceder 24 horas.
Via de administração: vide item ?Posologia?.

Uso em idosos, crianças e em outros grupos de risco

Uso em idosos: uma análise populacional não mostrou efeitos da idade, origem étnica ou sexo sobre a farmacocinética de Levosimendana. Nenhum ajuste de dose é necessário para pacientes idosos.
Uso em crianças: a Levosimendana não deve ser administrado a crianças e adolescentes menores de 18 anos.
Insuficiência Renal: SIMDAX (Levosimendana) deve ser usado com cautela em pacientes com insuficiência renal leve a moderada e não deve ser usado em pacientes com insuficiência renal severa (clearance da creatinina menor 30 mL/min) (ver CONTRA-INDICAÇÕES, ADVERTÊNCIAS e CARACTERÍSTICAS FARMACOLËGICAS).
Insuficiência Hepática: SIMDAX (Levosimendana) deve ser usado com cautela em pacientes com insuficiência hepática leve ou moderada e não deve ser usado em pacientes com insuficiência hepática severa (ver CONTRA-INDICAÇÕES, ADVERTÊNCIAS e CARACTERÍSTICAS FARMACOLËGICAS).

Armazenagem

Cuidados de armazenamento: SIMDAX (Levosimendana) deve ser mantido sob refrigeração, de 2 a 8ºC. Não congelar. A cor do concentrado pode se tornar laranja durante o armazenamento, mas não há perda de potência e o produto pode ser usado até o prazo de validade indicado, se as instruções de armazenamento tiverem sido seguidas. O prazo de validade está indicado na embalagem do produto.

Dizeres legais

Registro M.S.: 1.0553.0255.002-2
Registro M.S.: 1.0553.0255.003-0
Registro M.S.: 1.0553.0255.004-9
Registro M.S.: 1.0553.0255.005-7
Registro M.S.: 1.0553.0255.001-4
Registro M.S.: 1.0553.0255.006-5
Farmacêutico(a) responsável: Fábio Bussinger da Silva – CRF/RJ-9277
Importado por:
Abbott Laboratórios do Brasil Ltda.
Estrada dos Bandeirantes, 2400 ? Rio de Janeiro, RJ
CNPJ: 56.998.701/0012-79
Fabricado por:
Orion Corporation, ORION PHARMA
Espoo, Finlândia
Distribuído por:
Abbott Laboratórios do Brasil Ltda.
Estrada dos Bandeirantes, 2400 ? Rio de Janeiro, RJ
CNPJ: 56.998.701/0012-79
ESTE PRODUTO É UM NOVO MEDICAMENTO E EMBORA AS PESQUISAS TENHAM INDICADO EFICACIA E SEGURANÇA, QUANDO CORRETAMENTE INDICADO, PODEM OCORRER REAÇOES ADVERSAS IMPREVISÍVEIS, AINDA NÃO DESCRITAS OU CONHECIDAS. EM CASO DE SUSPEITA DE REAÇÃO ADVERSA, O MÉDICO RESPONSAVEL DEVE SER NOTIFICADO.
MS n¦ 1.0553.0255
Farm. Resp.: Fábio Bussinger da Silva
CRF-RJ 9277
USO RESTRITO A HOSPITAIS
ABBOTT CENTER
Central Interativa
0800 7031050
www.abbottbrasil.com.br
No de lote, data de fabricação e validade: vide rótulo e cartucho.

Data da bula

Nov 17 2004 12:00AM

4Medic

4Medic

4Medic é uma empresa especializada em gestão de clinicas e consultórios médico. Que fornece diariamente notícias sobre a área de saúde em geral. As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. .Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.